publicado por Gajo.de.botas | Sábado, 04 Setembro , 2010, 21:57

Pode-se dizer que foi à praticamente um ano atrás. Na altura também tinha ido de férias para o Algarve com os meus pais e a minha irmã mais nova.

As coisas pareciam bem até que de um momento para o outro o que parecia bem estava mal, bastante mal.

Já não ouvia a sua voz à imenso tempo e as mensagens recebidas, que pareciam vir cheias de amor, de um dia para o outro pareciam demasiado "secas".

A noite chegou, e como costumava ser fui dar uma volta com a minha irmã, nessa noite decidi leva-la à praia (é um local que eu adoro à noite e que me deixa bastante relaxado).

Depois de várias mensagens trocadas ao longo do dia não aguentei mais e perguntei-lhe o que é que se passava, ela respondia-me que queria falar pessoalmente comigo, que era para ser mais justo comigo, eu disse-lhe que não, que se ela queria ser justa que falasse logo o que se passava com ela porque faltava +/- uma semana até a voltar a ver.

As coisas não estavam bem, e apesar de eu não saber porquê, sabia que o que me iria acontecer me iria deixar destroçado.

Ainda me lembro, na praia estava eu e a minha irma sentados num muro a olhar para as estrelas, enquanto ela me fazia certas perguntas que eu gosto tanto.

Entretanto recebi a mensagem que esperava, li um bocado e guardei o telemóvel no bolso. Aquilo que eu pensava que nunca nos iria acontecer, que só acontecia aos outros, aconteceu... Foi esquesito.

Na altura não senti nada, talvez pelo facto da minha irmã estar ali, não sei, não assimilei bem as coisas. Cheguei a casa, enfiei-me no quarto, voltei a ler a mensagem e aí, foi tal e qual, senti o coração cair-me aos pés. A sensação, horrivel...

 

 

... Ao longo deste ano aconteceram muitas coisas...

 

 

E depois de muitas coisas, hoje dou por mim a ser uma coisa que na altura não o imaginava ser, sou amigo dela, consegui perdoar certas coisas que aconteceram, mas esquecer, esquecer não o consigo...

 

Engraçado, à dias atrás ela perguntou-me se já tinha tido o medo da vida, disse-lhe que sim mas não lhe cheguei a dizer qual o era.

A verdade é que até ao momento, o meu maior medo era perde-la, digo-o sem dúvida alguma... E o que realmente aconteceu foi que esse medo se realizou.

 

 

 

Porque é que eu escrevi todo este testamento aqui? Não sei, não faço ideia, talvez porque vieram as memórias e a verdade é que ainda tenho muita estima por ela, mas uma coisa é certa, escrever fez-me bem, apesar de ninguem dos meus conhecidos conhecer este blog, a verdade é que ele me faz bem :)


De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Setembro 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18

20
21
23
24
25

26
27
28
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
subscrever feeds